À Conversa com...


À Conversa com… Aldina Duarte e Maria do Rosário Pedreira

22 de abril, 17h30, Livraria Arquivo

Após a sessão de abertura, que assinala o arranque oficial da edição de 2022 da Ronda, segue-se uma conversa entre a fadista Aldina Duarte e Maria do Rosário Pedreira, editora, poeta e autora de muitas letras cantadas por Aldina: juntas formam uma parceria de longa data, desde os álbuns Conto de Fados (2011), Romance(s) (2015) ou Quando se Ama Loucamente (2017) até ao recém-lançado Tudo Recomeça (2022).

Maria do Rosário Pedreira tem a sua obra poética coligida em Poesia Reunida (2012) e acaba de publicar, em abril de 2022, O Meu Corpo Humano.

A relação entre poesia e fado, arte e liberdade, tradição e renovação, amizade e cumplicidade dá o mote a esta sessão, moderada por Susana Neves.



À Conversa com… Nuno Júdice

22 de abril, 19h, Biblioteca Afonso Lopes Vieira


A segunda sessão ‘À Conversa com...’ da Ronda 2022 recebe Nuno Júdice, poeta, ensaísta, escritor, professor e um dos mais importantes e premiados nomes da poesia contemporânea.

Quando se assinalam 50 anos desde a edição do seu primeiro livro, A Noção do Poema, acaba de ser lançada uma Antologia Pessoal da sua poesia (ed. Dom Quixote), que inclui ainda um inédito: Retrato da Memória.

A sessão com Nuno Júdice é conduzida por Luís Filipe Castro Mendes.



À Conversa com… Tozé Brito

23 de abril, 16h30, Livraria Arquivo


Letrista, compositor, cantor e editor, o nome de Tozé Brito é inseparável da música pop portuguesa das últimas décadas.

Algumas das canções mais emblemáticas que escreveu – incluindo «Olá, Então Como Vais?», «Sábado à Tarde», «Papel Principal» – foram revisitadas no disco de homenagem, Tozé Brito (de) Novo, lançado em novembro de 2021 para assinalar os seus 70 anos. As novas versões são cantadas por Ana Bacalhau, António Zambujo, B Fachada, Benjamim, Camané, Catarina Salinas, Joana Espadinha, Miguel Guedes, Mitó, Samuel Úria, Selma Uamusse, Rita Redshoes, Tiago Bettencourt e Tomás Wallenstein.

O primeiro single «Olá, Então Como Vais?», revisitado agora por Benjamim e B Fachada, tinha sido lançado originalmente em 1979, com Paulo de Carvalho, no disco Cantar de Amigos.

Destas e outras músicas que atravessam gerações, dos vários grupos que Tozé Brito integrou e daqueles para quem compôs se falará nesta conversa, conduzida por João Nazário.



À Conversa sobre… Manuel Alegre

24 de abril, 16h, Centro de Diálogo Intercultural de Leiria


Nesta sessão, António Carlos Cortez e Luís Filipe Castro Mendes conversam sobre a obra poética de Manuel Alegre.
Conhecido como «o poeta da liberdade», a atividade política de Manuel Alegre andou sempre a par da sua atividade literária. Poemas como «Trova do Vento que Passa», «Nambuangongo Meu Amor» ou «Canção com Lágrimas e Sol» transformaram-se em hinos geracionais e de combate ao fascismo, copiados e distribuídos de mão em mão, cantados por Adriano Correia de Oliveira ou Manuel Freire.

Autor de obras emblemáticas como Praça da Canção (1965) e O Canto e as Armas (1967), recebeu o mais prestigiado galardão das letras lusófonas, o Prémio Camões, em 2017.

A sua obra poética encontra-se reunida no volume Trinta Anos de Poesia (ed. Dom Quixote), por «ser uma referência da poesia portuguesa deste século» e representar «a visão de um Portugal aberto ao mundo e um humanismo universalista atento a tudo o que nos rodeia».