Sobre o Leiria Poetry Festival


Leiria Poetry Festival

Neste tempo de exceção que atravessamos, Leiria ousou lançar um desafio à escala global: organizar um evento centrado na beleza e potência da linguagem poética. Entre 12 a 21 de Março, mais de 200 convidados oriundos de cerca de 40 países vão apresentar-se em entrevistas, conferências, debates, workshops, vídeo-poemas, espetáculos musicais e performances poéticas.

O Festival terá este ano a sua primeira edição internacional. Passa de Ronda Poética a RONDA Leiria Poetry Festival e, nestes tempos tão difíceis que vivemos, isto só é possível porque um mundo inteiro se mobilizou. Para afirmarmos o festival nesta dimensão global, convocámos as cidades da Rede das Cidades Criativas UNESCO, nas diversas áreas, e alguns festivais e instituições internacionais. Todos responderam prontamente, montando mesas e entrevistas, convocando os seus poetas e projectos poéticos. O estado de excepção que o mundo vive, com maior ou menor grau de confinamento, levou-nos a passar o festival exclusivamente para o online, num formato inovador e pioneiro. A decorrer ao longo de dez dias, de 12 a 21 de março de 2021, o Ronda será alojado numa plataforma online a partir de Leiria e de alguns hubs na Europa, Américas e África com oradores e performers a juntarem-se simultaneamente. Entre as mesas, as entrevistas, os lançamentos de livros e os concertos, ao longo dos 10 dias, teremos poetas de todo o mundo a lerem os seus poemas, video-poemas e pequenas performances poéticas, numa verdadeira babel poética.

Esta dimensão global do Ronda permite-nos ter uma programação que coloca lado a lado poetas, pensadores e artistas conhecidos do público português com outros que são referência no seu país e até internacionalmente mas que não o são em Portugal. Ao lado de Gilles Lipovetsky (FR) ou de Jack Hirschman (USA) temos Tyehimba Jess - distinguido com o Prémio Pulitzer por explorar na forma poética noções contemporâneas de raça e identidade, sem abrir mão da experiência estética; Dwayne Betts - que descobriu a poesia na prisão de segurança máxima, de onde saiu para ser tornar um poeta premiado, advogado renomado pelos seu trabalho em defensória pública e um palestrante requisitado no mundo todo; ou Bejan Matur - poeta curda que transita entre a tragédia e o místico, um dos nomes mais premiados e ilustres da poesia que emerge do Médio Oriente; e a também premiada Yoko Tawada, japonesa que vive em Berlim e é celebrada pelo domínio e reinvenção da escrita tanto em japonês como em alemão. E o inverso também é verdadeiro: poetas da lusofonia, como João Luís Barreto Guimarães , Marilia Garcia, (BR) vão ser dados a conhecer na Ásia ou América.

Ao mesmo tempo que o Festival Internacional de Poesia de Medellín nos oferece uma mesa com grandes poetas, Ras Takura, jamaicano, dá-nos a conhecer o festival Dis Poem Wordz & Agro Festival, num formato novo para nós: a poesia ao serviço da agricultura sustentável e dos bancos de sementes.

O Ronda Leiria Poetry Festival faz uma ronda pelo mundo e traz poetas europeus, dos PALOP, países mais presentes nos nossos festivais, mas também Colômbia, Equador, México, Guatemala e até Sérvia, Roménia, Filipinas, Turquia, Tunísia ou Quénia, pouco presentes nos nossos eventos literários.

Porque Leiria é uma cidade Criativa da Música UNESCO, a relação música / poesia não foi descurada: Ao longo dos 10 dias do festival, terminaremos cada dia com um concerto, como As Cancões Possíveis, de Manuel Freire (a partir de Os poemas possíveis, de José Saramago), Rita Redschoes, que musicou poemas de Francisco Lobo Rodrigues, ou Pinhal del Rei com um concerto assente no cancioneiro tradicional português e nas cantigas de D. Dinis, entre muitos outros.

Também assente na estratégia que leiria submeteu à UNESCO e que lhe valeu a designação de Cidade Criativa, este evento cria pontes com as outras áreas artísticas, como o teatro, com o espectáculo O Globo de Saramago – 1933, ou a pintura, com um diálogo entre Nuno Júdice e Isabel Pavão, ou a dança, com Fernando Duarte e Solange Melo a dançarem poesia, ou as media arte, com o projecto do Paulo Costa «Nas suas Casas os Homens»

Organização:
Câmara Municipal de Leiria, Leiria Cidade Criativa da Música UNESCO, Livraria Arquivo
Coordenação:
Celeste Afonso
Produção e curadoria:
Celeste Afonso, Mirna Queiroz, Ana Miranda, Xana Vieira e Paulo Costa
Comunicação:
Gabinete de Comunicação da Câmara Municipal de Leiria, Luís Filipe Sarmento